SOBRE PRODUTOS SERVIÇOS A PELE CONTATO
 
     
 
Voltar
A pele
O Envelhecimento Cutâneo
O Uso de Ácidos
Vitamina C

O uso de ácidos no tratamento e prevenção do envelhecimento

Os ácidos aplicados para fins dermato-cosmetológicos tiveram início com o uso da vitamina A (ácido retinóico) em 1959, na Alemanha, utilizados para o tratamento de algumas doenças cutâneas, como a psoríase. Em 1974, os Alfahidroxiácidos (AHA`s) foram introduzidos na dermatologia para o tratamento de ictiose, xeroses e verrugas. Somente em meados dos anos 80 é que os Alfahidroxiácidos passaram a ser utilizados em larga escala nos tratamentos de acne, despigmentação e fotoenvelhecimento.

Embora existam outros ácidos, como os Betahidroxiácidos, Polihidroxiácidos, ainda são os Alfahidroxiácidos um dos mais utilizados para fins dermato-cosmetológicos.

Os Alfahidroxiácidos são ácidos orgânicos e não tóxicos, são conhecidos, também, como ácidos frutais, devido à sua obtenção a partir de fontes naturais. São encontrados na natureza em cinco tipos:

  • Ácido Málico – extraído da maçã;
  • Ácido Tartárico – extraído da uva;
  • Ácido Cítrico – extraído das frutas cítricas;
  • Ácido Lático – extraído do leite;
  • Ácido Glicólico – extraído da cana-de-açúcar.

Destes Alfahidroxiácidos o mais importante é o ácido glicólico, largamente utilizado em preparações cosméticas.

O ácido glicólico é o que possui a menor cadeia do grupo dos Alfahidroxiácidos, com dois carbonos em sua estrutura molecular. E por apresentar o menor peso molecular é, consequentemente, o que tem a melhor penetração, sendo de rápida absorção na pele.

Com sua ação esfoliante, o ácido glicólico promove uma remoção dos corneócitos (células mortas) da camada superior da epiderme, permitindo que as células mais jovens cheguem à superfície com mais facilidade, além, de facilitar a penetração de outros princípios ativos utilizados no tratamento. Ele também estimula a produção do colágeno, melhorando a elasticidade, a capacidade de renovação e a qualidade da pele.

São propriedades, também, do ácido glicólico o baixo poder de fotossensibilização (permitindo que seja usado durante todo o ano), a baixa capacidade de desencadear alergias, a capacidade de induzir alterações na derme sem necessariamente a penetrar, além, de causar pouco edema e eritema quando utilizado.

Pesquisas comprovaram que o tratamento com ácido glicólico melhora significativamente a qualidade da pele, especialmente, no que diz respeito à textura, uniformidade da cor e atenuação das rugas finas, concluindo, assim, que o emprego dessa substância no tratamento do envelhecimento cutâneo traz resultados extremamente satisfatórios.

Patrícia Elias

Esteticista Revidrata Cosméticos

 
Av. Prof. Othon Gama D'Eça, 900 - Sala 408 - Centro - Florianópolis - Tel: (48) 3222-1869